Epistemologia do romance

Doutoranda do grupo Epistemologia do Romance qualifica nesta sexta-feira (30)

By outubro 29, 2020 No Comments

A doutoranda Janara Soares, pesquisadora do grupo Epistemologia do Romance, participa nesta sexta-feira (30) da sua banca de qualificação de Tese, no Programa de Pós-graduação em Literatura da Universidade de Brasília (PósLit/UnB).

Em função das condições do presente, a banca será fechada e em formato virtual. Além da orientadora e líder do grupo, Ana Paula Caixeta, participam ainda os professores do PósLit Dr. Rogério Lima e Dr. Erivelto da Rocha Carvalho.

Com o título O olhar infantil na Revolução Mexicana: os jogos estéticos e éticos em cartucho, de Nellie Campobello, Soares investiga – a partir da Epistemologia do Romance – as relações entre o literário e a condição humana dos que vivem em contexto de guerra, na construção estética do romance Cartucho: relatos de la lucha en el Norte de Mexico, de Campobello.

Confira o resumo completo da qualificação:

Esta tese tem como objetivo buscar na obra Cartucho: relatos de la lucha en el Norte de Mexico, de Nellie Campobello, a partir de sua construção estética, as relações entre o literário e a condição humana daqueles que vivem em um contexto de violência. Partindo da Epistemologia do Romance, que considera a obra literária como um espaço de construção de conhecimento através da sensibilidade, fazemos a seguinte pergunta: como a obra Cartucho: relatos de la lucha en el norte del Mexico, a partir da escolha estética de uma narradora criança, pensa a existência em uma situação de guerra? Buscamos traçar, então, um gesto epistemológico a partir da construção de uma hipótese ontológica, noção trazida por Milan Kundera em sua reflexão sobre o romance. Para tanto, evocamos e desenvolvemos algumas noções da ER, assentadas sobre os estudos de Johan Huizinga, Hans-Georg Gadamer, Wolfgang Iser, dentre outros: as noções de jogo no âmbito literário; da intencionalidade, que marca a racionalidade presente no objeto de arte, responsável pela configuração das estratégias narrativas que produziram o efeito estético; e da credibilidade, enquanto noção que, além da verossimilhança, lida também com o histórico e com o filosófico, abrindo a possibilidade de se pensar o literário para além do universo ficcional (mas sempre partindo dele). Posteriormente, analisamos o ambiente social, político e cultural que serve como solo para Cartucho, bem como a posição de Nellie Campobello nos acontecimentos da época e os dilemas das narrativas de guerra. Observamos a escolha das estratégias estéticas para a criação da credibilidade do livro estudado que, colocado no mundo, compete com as narrativas das autoridades (como a escritora manipula o testemunho, a autorreferência, a memória e a narradora criança, com vistas a ultrapassar as noções de bom e mau, de herói e vilão, bem como para instituir o jogo de credibilidade e a manipulação do efeito estético). Chegamos, então, à seguinte hipótese: O esquecimento do sujeito como degradação não apenas do ser humano (enquanto pessoa esquecida) no contexto de guerra, mas de toda uma atividade coletiva pautada na ação desse sujeito e de suas consequências sociais. Esta hipótese nos permitirá, na última parte deste trabalho, desenvolver uma reflexão filosófica a partir dos elementos estéticos da obra.

Os membros do grupo estão orgulhosos e parabenizam a pesquisadora pelo empenho no trabalho e chegada a esta importante etapa do Doutorado, mesmo em meio aos problemas e dificuldades acarretadas pela pandemia do Covid-19.

Leave a Reply