Sem categoria

Tese de pesquisadora do Grupo Epistemologia do Romance é escolhida para concorrer Prêmio CAPES

Segundo Lelis (2021, p.46), contracapa do volume MS 1628 bis, conservado na Biblioteca Nacional do México e confeccionado após a conquista de México-Tenochtitlan em 1521 para catequização de povos Nahua do e no Altiplano Central do México. Disponível aqui.

Em seu trabalho, Sara Lelis de Oliveira traduziu, de forma inédita cinco cantos do náhuatl clássico datados do século XVI, para o português do Brasil, sob orientação da prof. Dra. Ana Rossi. Para ter acesso à tese de Oliveira, clique aqui.

Após seleção interna do Programa de Pós-graduação em Literatura da Universidade de Brasília (PósLit/UnB), a tese de Sara Lelis de Oliveira foi escolhida entre 30 trabalhos para concorrer ao Prêmio CAPES de tese – Edição 2022 (Edital 11/2022).

De acordo com o edital, o Prêmio será dado para as melhores teses de doutorado defendidas em 2021, selecionadas em cada uma das 49 áreas de avaliação reconhecidas pela CAPES, nos programas de pós-graduação adimplentes no Sistema Nacional de Pós-Graduação.

A tese de Oliveira foi defendida em junho de 2021. Com o título “Tradução dos Cantares Mexicanos: arqueologia de cinco cantos Nahua”, Lelis de Oliveira traduziu, de forma inédita, reflexiva e sistematizada, cinco cantos do náhuatl clássico datados do século XVI, para o português do Brasil.

“São cantos de origem pré-hispânica entoados na língua dos Nahua em honra a governantes da Tríplice Aliança e a deuses e deusas cultuados pela elite Nahua, os quais foram compilados e reescritos no chamado náhuatl clássico, provavelmente sob a supervisão do missionário franciscano Bernardino de Sahagún, no âmbito do projeto colonial de destruição do sistema religioso Nahua para imposição da religião católica”, reitera a pesquisadora em seu trabalho.

Neste sentido, o uso dos cantos tradicionais para a catequização norteia, para o texto traduzido, segundo a doutoranda, “tanto a recontextualização de possíveis elementos do ritual Nahua empobrecidos com a escrita alfabética, quanto a reintegração de possíveis divindades Nahua substituídas, remetendo o processo de tradução à investigação arqueológica de um locus linguístico em busca de uma possível forma originária dos cantos tradicionais”.

Segundo Lelis de Oliveira, a pesquisa propõe ainda uma “interlocução diferenciada entre a tradução e os estudos mesoamericanos, desde o referencial teórico da tradutologia, pois mostra os potenciais dessa operação linguística na investigação da construção da cultura da elite Nahua no período colonial, bem como na produção de conhecimentos sobre ela através da literatura em náhuatl clássico.

O resultado do Prêmio CAPES está previsto para saber publicado em agosto de 2022, no Diário Oficial da União.

Leave a Reply